Segunda geração de beneficiados do Bolsa Família – Programa completa 10 anos de existência

Em 2003, quando o ex-sindicalista Lula da Silva chegou à Presidência da República, coloque logo os olhos sobre o mar de milhões de pobres brasileiros. Para eles criou o dia 20 de outubro desse ano, o programa chamado Bolsa Família, um apoio financeiro de cerca de us $ 50, concedido a pessoas que ganhavam menos de 30 dólares por mês.

Aquele programa social cumpre agora 10 anos e chega a cerca de 14 milhões de famílias. Os que hoje recebem a Bolsa Família já são os filhos dos que tinham começado a desfrutar daquela ajuda. E se o 13° salário já foi uma grande novidade para aqueles que estão tentando superar a linha da pobreza pode ser ainda mais aliviante saber que poderá acontecer um aumento no Bolsa Família 2020 nos valores atuais que partem de R$ 48,00 e podem chegar ao no máximo R$ 230,00 acumulados por família beneficiada, de acordo com as regras do programa.

10 anos de Bolsa Família

Os primeiros passos do Bolsa Família

O primeiro Governo de esquerda uniu no Bolsa Família, toda uma série de benefícios que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso já havia criado, embora em uma proporção menor. Entre eles está incluída a Bolsa Escola, uma ajuda que lhe é atribuído às famílias mais pobres, sob a condição de que enviassem seus filhos para estudar em vez de fazê-los trabalhar. Foi naquele programa o que conseguiu, pela primeira vez, que a assistência escolar superior a 90% no ensino primário.

Lula estendeu aquele benefício e com ele foram concedidos para as famílias mais necessitadas de assistência médica e conhecimentos de seus direitos como cidadãos. Foi o programa que ajudou Lula a ser reeleito em 2006, apesar da pressão que ele havia criado contra o seu Governo com motivo do escândalo do mensalão.

Ninguém foi negado, nem mesmo da oposição, os benefícios que o Bolsa Família tem levado milhões de famílias, com uma clara melhoria nos índices de educação, renda e melhor a saúde pública. Muitas daquelas famílias, graças a esse conjunto de auxílios e ao aumento do salário base, deram o salto para a classe média baixa.

Hoje, a dez anos de distância, analistas políticos, sociólogos e economistas fazem balanço dos prós e contras de a Bolsa Família. As vantagens são conhecidas por todos, apesar de algumas críticas em relação à organização das ajudas, que, por vezes, tem caído nas mãos de brasileiros, que não precisavam, até mesmo políticos ou familiares dos mesmos. Também foi temido que os beneficiários do Bolsa Família, para não perder seus direitos, parassem de trabalhar, ou aquela de sua preferência arredondar a ajuda com trabalhos esporádicos, sem entrar no mercado de trabalho oficial.

O resultado final, no entanto, é inegavelmente positivo e representa uma das principais conquistas dos 12 anos de Governo do Partido dos Trabalhadores (PT) – e lembrando que é mentira que o partido tentou revogar o 13° salário. 

Segunda geração de beneficiados do Bolsa Família

O que hoje se discute, se por acaso, é o fato de que, depois de 10 anos de Bolsa Família, que hoje continuam beneficiando dela já são os filhos daqueles que a tinham recebido pela primeira vez. Isso significaria, segundo alguns sociólogos, que ainda está viva, um saco de pobreza constituída hoje por os filhos das famílias pobres de antigamente.

Há quem posturas que defendem que, no futuro, a ajuda do Bolsa Família, se reduza a casos de famílias que ainda vivem em situação de pobreza e até miséria, e que os filhos dos destinatários da velha Bolsa Família se lhes ofereça mais do que uma ajuda econômica, possibilidades de estudos e de formação profissional, em vez de continuar oferecendo uma ajuda que acabaria perpetuando a pobreza.

Verificou-Se, com efeito, que nem sempre aumenta o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) nem melhora a educação ou a saúde, as áreas que receberam mais apoio.

A reflexão-aos 10 anos de experiência positiva do Bolsa Família passa por um exame despolitizado, mesmo científico, de uma experiência que tem dado os seus frutos, mas que talvez esteja exige ser repensada em um país onde a maior urgência é melhorar a qualidade da educação e proporcionar a milhões de jovens sem profissão a possibilidade de abrir-se eles mesmos caminho na vida. Veja mais notícias no link sobre o programa.

Author: Qp1ie9kb9A

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *